Numerosos relictos de cactáceas têm sido constatados fora do Polígono das Secas.


Texto de Aziz Nacib Ab'Sáber
Fonte: http://www2.uol.com.br/sciam/artigos/redutos_de_cactaceas_jardins_da_natureza.html


Na maior parte dos casos, os agrupamentos isolados de cactáceas estão amarrados a pequenos lajedos de afloramentos rochosos restritos ou isolados. Caso especial é um enclave regional de verdadeiras caatingas, em uma faixa de terra no Sudeste, entre Macaé e Cabo Frio (RJ), estendendo-se por quilômetros em restingas e pontas de maciços costeiros sub-rochosos.

As razões que respondem pela existência desse subespaço fora do Nordeste Seco são múltiplas e complexas. A emergência de águas frias em uma costa dominada por correntes quentes explica parte do problema. Os navegadores portugueses do século 16 perceberam o uso local das águas frias, denominando o subespaço Cabo Frio, área de alta exceção no litoral, com forte luminosidade, atenuação de precipitações e dinâmica climática diferenciada.

Com exceção do reduto de Macaé-Cabo Frio, ocorrem desde Roraima até o Rio Grande do Sul numerosos relictos de cactáceas e bromélias associadas, que vimos interpretando como minirredutos de vegetação herdados da época em que climas secos e caatingas teriam se estendido por imensas faixas costeiras e interplanálticas do país. Esses minirredutos, que podem se comportar como minirrefúgios faunísticos, variam de nichos rochosos, apresentando-se como rupestres-biomas. Em Roraima, o caso mais típico e biodiverso ocorre em pequenos pontões rochosos de morros graníticos, ora revestidos por diferentes tipos de cactos, ora dotados de cactáceas basais intersticiais, em áreas de inselbergs gerados em um clima muito mais seco que o atual (Mucajaí e Pedra Pintada).

Na Amazônia central, com grandes e contínuas florestas tropicais equatoriais, têm sido encontrados cactos isolados em setores de campestres ou pequenas áreas rochosas. No entorno do Pantanal Matogrossense ocorrem casos locais de cactos, sendo que, nos arredores de serras fronteiriças, existe um dos mais característicos bosques de altas cactáceas da região.
Afora esses casos mais berrantes, têm sido encontradas grandes quantidades de cactos no entremeio de campos de matacões (Salto/Itu); assim como em pontos mais isolados de maciços costeiros e em dunas acima de barrancos de praias (sobretudo na costa do RJ, SP, SC e RS). Casos similares de rupestres-biomas foram detectados nos altos e encostas do Pão de Açúcar (RJ) e pequenos maciços costeiros de Garopaba (SC).

DSC05152-ANIMATION-cactus-quoos-garopaba

Cactus (imagem Gif Animado)- Em trilha realizada por Condutor Ambiental Local de Garopaba, Santa Catarina

Autor: João Henrique Quoos
Data: 10/04/2015

 

Na complexa compartimentação dos planaltos interiores do Brasil, ocorrem alguns relictos espaçados de cactáceas. Em princípio, todos podem ser entendidos como casos especiais de rupestres-biomas. O estudo caso a caso possui grande significância paleoecológica e paleoclimática. Nos altos da Chapada Diamantina, em pleno domínio dos campestres de cimeira "campos gerais" aparecem nichos de cactos, e mais para o norte, a leste de Xique-Xique, ocorrem caatingas de cimeira.

Nas regiões calcárias de Minas Gerais pode-se detectar cactos nas bordas e altos das famosas grutas ao norte da Lagoa Santa, em áreas onde hoje predominam cerrados. Em São Paulo, nos altos da Serra do Japi, ocorrem cactos por entre matacões e encostas do rio Sorocaba/São Francisco (Votorantim), território dos Ermírio de Moraes. O importante caso das cactáceas de Salto/Itu já foi analisado nesta coluna. O caso mais significativo situa-se nos lajedos e entornos dos altos da Serra do Jardim, na fronteira Valinhos-Vinhedo e recentemente foi criminosamente devastado por funcionários de uma universidade.

Convém lembrar simbolicamente que os pequenos nichos de cactáceas colocados em sítios extra-sertanejos são verdadeiros jardins da Natureza, patrimônio da diferenciação genética que os gerou para resistir à secura de regiões semi-áridas. Conservando águas em seu cerne, adaptaram-se às frestas de lajedos ou pontões rochosos. Os governos deveriam providenciar tombamentos dos casos de Mucajaí, Pedra Pintada e Corumbá a fim de preservar documentos dos patrimônios vegetais, herdados de outras condições paleoclimáticas e paleoecológicas da América Meridional.

 

Cactus Garopaba

  • Cactus - Em trilha realizada por Condutor Ambiental Local de Garopaba, Santa Catarina
  • Autor: João Henrique Quoos
    Data: 10/04/2015